domingo, 27 de dezembro de 2009

REFLETINDO UM POUCO...

Alguns pensadores preferem se debruçar sobre coisas abstratas a pensar num mundo concreto e com inúmeros objetos para entender e/ou refletir. Pelo contrário, preferem viajar no mundo das ideias, não que eu seja contra o pensamento abstrato, sou apaixonado por mentes brilhantes. Mas o que quero pensar hoje é sobre a falta de ação por parte da maioria das pessoas, dentre elas, os intelectuais. Vamos pensar sobre nossas atitudes ante a um mundo selvagem, onde os interesses pessoais estão acima dos da coletividade. Não vivemos em comunidade há muito tempo, o "progresso" nos fez menos solidários e mais egoístas. É final de ano e muitas pessoas são tocadas por um sentimento de "culpa" e começam a ser humanas outra vez, pois antes de serem consumidas pelo dinheiro, poder, fama, etc. eram pessoas comuns; agora desconhecem a pobreza, fome, miséria... O que será da humanidade? Até quando nos comportaremos como se tudo fosse normal ou como alguns preferem, natural? Quando que dispiremos de toda a arrogância e presunção e veremos que todos tem direito a direitos iguais. A vida de luxo de uma minoria se contrasta com a subvida de milhões de miseráveis que são ignorados com uma frieza surpreendente por muitos, talvez, estejamos entre esses que não se comovem mais com o sofrimento alheio. Pois, não é nossa culpa. Os únicos culpados são as autoridades que nada fazem para amenizar o sofrimento do povo. Vivemos num mundo cão onde os meus intereses devem ser atendidos, quanto aos outros... Bom, eles que se virem! Não é assim? Que empresários, banqueiros, fazendeiros e pessoas da mesma "linhagem" possam lembrar que a propriedade privada hoje, antes não o era. Para melhor reflexão sobre a origem da propriedade privada sugiro: "A origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens", Rousseau. Quanto aos intelectuais, que tal se se tirassem a bunda da cadeira e ajudassem a amenizar o sofrimento de muitos de nossos irmãos. Sugiro a seguir o exemplo do inesquecível Florestan Fernandes. Que Deus possa continuar se compadecendo de nós.
Abaixo postei um vídeo para melhor refletirmos.
video

Um comentário:

  1. Gilson, tenho essa mesma visão sobre a humanidade... Enquanto existe o problema do super aquecimento global, existe também o resfriamento do coração humano, e considero isso tão preocupante quanto o aquecimento... Parabéns por ter a vontade de lutar para o aquecimento da mente e do coração. Adorei seu blog!! Simbôra, expressar nossos idéias e indignações! Beijo.

    ResponderExcluir