segunda-feira, 30 de novembro de 2009

III CONFERÊNCIA DE CULTURA

Conforme divulgado aqui, realizamos em nossa cidade a I Conferência de Cultura, que a prefeitura local denominou de I, ignorando uma que houve na gestão anterior. Houve boa participação de pessoas interessadas no desenvolvimento da cultura em nosso munícipio. Delegados foram eleitos para representar o munícipio na III Conferência Estadual que aconteceria no final do mês de Novembro, como de fato aconteceu. Mas infelizmente o poder público municipal não enviou os delegados eleitos para representar o nosso município e defender nossas propostas, o que lamentamos profundamente; isso demonstra o descaso com a cultura em nossa cidade. Gostaria de saber o que se passa na cabeça de governantes que não sabem ou não se importam com a cultura de um povo. Fica aqui o nosso repúdio ao descaso do poder público municipal.

domingo, 29 de novembro de 2009

RUBEM ALVES

Transcrevo abaixo, para nosso deleite, texto do professor e escritor Rubem Alves: A arte de ouvir. Penso que as coisas boas devem ser compartilhadas, é com esse objetivo que convido você para refletir sobre o escrito do professor Alves. Boa leitura!

"De todos os sentidos, o mais importante para a aprendizagem do amor, do viver juntos e da cidadania é a audição. Disse o escritor sagrado: “No princípio era o Verbo”. Eu acrescento: “Antes do Verbo era o silêncio.” É do silêncio que nasce o ouvir. Só posso ouvir a palavra se meus ruídos interiores forem silenciados. Só posso ouvir a verdade do outro se eu parar de tagarelar. Quem fala muito não ouve. Sabem disso os poetas, esses seres de fala mínima. Eles falam, sim. Para ouvir as vozes do silêncio. Veja esse poema de Fernando Pessoa, dirigido a um poeta: “Cessa o teu canto! Cessa, que, enquanto o ouvi, ouvia uma outra voz como que vindo nos interstícios do brando encanto com que o teu canto vinha até nós. Ouvi-te e ouvia-a no mesmo tempo e diferentes, juntas a cantar. E a melodia que não havia se agora a lembro, faz-me chorar...” A magia do poema não está nas palavras do poeta. Está nos interstícios silenciosos que há entre as suas palavras. É nesse silêncio que se ouve a melodia que não havia. Aí a magia acontece: a melodia me faz chorar.
Não nos sentimos em casa no silêncio. Quando a conversa para por não haver o que dizer tratamos logo de falar qualquer coisa, para por um fim no silêncio. Vez por outra tenho vontade de escrever um ensaio sobre a psicologia dos elevadores. Ali estamos, nós dois, fechados naquele cubículo. Um diante do outro. Olhamos nos olhos um do outro? Ou olhamos para o chão? Nada temos a falar. Esse silêncio, é como se fosse uma ofensa. Aí falamos sobre o tempo. Mas nós dois bem sabemos que se trata de uma farsa para encher o tempo até que o elevador pare.
Os orientais entendem melhor do que nós. Se não me engano o nome do filme é “Aconteceu em Tóquio”. Duas velhinhas se visitavam. Por horas ficavam juntas, sem dizer uma única palavra. Nada diziam porque no seu silêncio morava um mundo. Faziam silêncio não por não ter nada a dizer, mas porque o que tinham a dizer não cabia em palavras. A filosofia ocidental é obcecada pela questão do Ser. A filosofia oriental, pela questão do Vazio, do Nada. É no Vazio da jarra que se colocam flores.
O aprendizado do ouvir não se encontra em nossos currículos. A prática educativa tradicional se inicia com a palavra do professor. A menininha, Andréa, voltava do seu primeiro dia na creche. “Como é a professora?”, sua mãe lhe perguntou. Ao que ela respondeu: “Ela grita...” Não bastava que a professora falasse. Ela gritava. Não me lembro de que minha primeira professora, Da. Clotilde, tivesse jamais gritado. Mas me lembro dos gritos esganiçados que vinham da sala ao lado. Um único grito enche o espaço de medo. Na escola a violência começa com estupros verbais.
Milan Kundera conta a estória de Tamina, uma garçonete. “Todo mundo gosta de Tamina. Porque ela sabe ouvir o que lhe contam. Mas será que ela ouve mesmo? Não sei... O que conta é que ela não interrompe a fala. Vocês sabem o que acontece quando duas pessoas falam. Uma fala e outra lhe corta a palavra: ‘é exatamente como eu, eu...’ e começa a falar de si até que a primeira consiga por sua vez cortar: ‘é exatamente como eu, eu...’Essa frase ‘é exatamente como eu...’ parece ser uma maneira de continuar a reflexão do outro, mas é um engodo. É uma revolta brutal contra uma violência brutal: um esforço para libertar o nosso ouvido da escravidão e ocupar à força o ouvido do adversário. Pois toda a vida do homem entre os seus semelhantes nada mais é do que um combate para se apossar do ouvido do outro...”
Será que era isso que acontecia na escola tradicional? O professor se apossando do ouvido do aluno ( pois não é essa a sua missão?), penetrando-o com a sua fala fálica e estuprando-o com a força da autoridade e a ameaça de castigos, sem se dar conta de que no ouvido silencioso do aluno há uma melodia que se toca. Talvez seja essa a razão porque há tantos cursos de oratória, procurados por políticos e executivos, mas não haja cursos de escutatória. Todo mundo quer falar. Ninguém quer ouvir.
Todo mundo quer ser escutado. (Como não há quem os escute, os adultos procuram um psicanalista, profissional pago do escutar.) Toda criança também quer ser escutada. Encontrei, na revista pedagógica italiana “Cem Mondialità” a sugestão de que, antes de se iniciarem as atividades de ensino e aprendizagem, os professores se dedicassem por semanas, talvez meses, a simplesmente ouvir as crianças. No silêncio das crianças há um programa de vida: sonhos. É dos sonhos que nasce a inteligência. A inteligência é a ferramenta que o corpo usa para transformar os seus sonhos em realidade. É preciso escutar as crianças para que a sua inteligência desabroche.
Sugiro então aos professores que, ao lado da sua justa preocupação com o falar claro, tenham também uma justa preocupação com o escutar claro. Amamos não é a pessoa que fala bonito. É a pessoa que escuta bonito. A escuta bonita é um bom colo para uma criança se assentar..."

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

PROJETO NO CEP

Os alunos da 2ª série do ensino médio do Centro Educacional de Planalto, realizou nessa quinta-feira o projeto que teve como tema: E sua cidade como vai? abordando os problemas corriqueiros de uma cidade pequena, que pouco difere das grandes cidades. O empenho dos alunos na realização do projeto foi de suma importância para uma reflexão acerca dos problemas que a cidade de Planalto enfrenta. Um dos assuntos abordados pelos alunos foi a questão ambiental, que se discute muito, mas pouco se faz para minimizar os danos que nós causamos ao meio ambiente. Foi sem dúvida um momento oportuno para repensarmos a nossa postura ante a degradação do meio ambiente. Veja um vídeo que nos faz refletir sobre nossa atuação enquanto moradores do planeta Terra.
video

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O FILME DO ANO

"Ele já é um mito". Essa fala é cada vez mais pronunciada nos quatro cantos do Brasil. Estou falando do atual presidente do Brasil, Lula, que tem surpreendido não apenas nós brasileiros, mas o mundo com suas ações. Por ter se tornado um ícone do Brasil, a vida do nosso presidente acaba de virar filme e já teve o seu pré-lançamento. Muitos são os comentários acerca do filme. Mas uma coisa todos já sabem, vai bater recordes de bilheteria. Vamos aguardar? Por enquanto podemos ver o trailer do filme: LULA, O FILHO DO BRASIL.
video

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA


O dia da consciência negra requer de todos nós uma pronfunda reflexão, pois entendo que o dia de hoje tem grande significado para todos os brasileiros, no entanto, é motivo para várias declarações carregadas de racismo. Isso devido a pequena visibilidade que a mídia dar ao dia 20 de Novembro, não fazendo uma leitura verdadeira do momento histórico, pelo contrário suscitando nos incautos mais dúvidas. Muita gente impregnada de racismo estufa o peito para dizer que esse dia é desnecessário, porquanto o negro é igual a todo os outros, será? Sabemos que o negro é igual em sua constituição biológica, no entanto, não é igual aos brancos por diversos aspectos, podemos citar como exemplo a sua pouca escolaridade, poder aquisitivo, participação no mercado de trabalho de maior destaque; em detrimento do 'branco' etc,. O que quero considerar aqui é que o dia de hoje é muito importante, mas ainda é insuficiente para podermos fazer grandes comemorações. Abaixo um vídeo para refletirmos um pouco.
video

terça-feira, 17 de novembro de 2009

O NOVEMBRO NEGRO NA BAHIA


O deputado federal Luiz Alberto do PT da Bahia tem sido um dos representantes mais atuantes das causas envolvendo os quilombos, por isso, tem se destacado pela defesa no congresso nacional por aqueles que são e sempre foram marginalizados na história do nosso país. Segue abaixo matéria do sítio do deputado que fala sobre a programação que antecede ao 20 de Novembro. Logo após o texto assista um vídeo que tem grande significado para todos nós brasileiros. O navio negreiro de Castro Alves continua vivo entre nós.



Este ano, a ação ganha caráter internacional, com a inclusão do Seminário Experiências Iberoamericanas de Promoção da Igualdade Étnico-Racial, que acontece de domingo (15) até terça-feira, no Hotel Vila Galé, em Ondina. A celebração do 20 de Novembro em ato público na Praça Castro Alves, com a presença do presidente Lula, confere o caráter nacional do projeto. No Estado, a população é envolvida através de várias ações promovidas pelos movimentos negros, por órgãos do governo estadual e das prefeituras de todos os territórios de identidade.
São diversas as exposições, mostras de filmes, conferências, oficinas, marchas, seminários, realizadas em Salvador e em municípios como Alagoinhas, Lauro de Freitas, Camaçari, Conceição da Feira, Irecê, Porto Seguro, Seabra, Souto Soares, Ituberá, Itacaré e Juazeiro, sempre com abordagens étnico-raciais. Ao público em geral, a chamada à reflexão sobre o contexto do racismo no Brasil chega através de uma forte campanha publicitária, lançada pela Sepromi em veículos de comunicação como outdoor, tv, rádio, jornal, revistas, ônibus e mobiliários urbanos.

"A nossa idéia é consolidar um ambiente favorável para a implementação de políticas de promoção da igualdade racial no estado da Bahia", afirma a secretária de Promoção da Igualdade, Luiza Bairros, que destaca o Decreto Estadual de Políticas para as Comunidades Remanescentes de Quilombos entre as ações de governo a serem lançadas no bojo do Novembro Negro. O documento, que define as diretrizes das políticas públicas baianas para quilombos, será assinado pelo governador Jaques Wagner em ato com participação do presidente Luís Inácio Lula da Silva, nos 20 de Novembro, na Castro Alves.
A praça mais popular de Salvador será palco de outros atos como a assinatura do Estatuto Nacional de Promoção da Igualdade Racial, pelo presidente Lula, e o anúncio do governador de comunidades que serão beneficiadas com a regularização de suas terras. Desta forma, a Castro Alves será o espaço da celebração nacional do 20 de Novembro, concentrando todas as manifestações tradicionais da data, a exemplo das caminhadas que saem do Campo Grande e da Liberdade.
video

domingo, 15 de novembro de 2009

120 ANOS DE REPÚBLICA

O dia de hoje passa por despercebido pelo povo brasileiro. O aniversário da proclamação da república parece não ter nenhuma importância para a maioria da população brasileira. Esta falta de interesse tem sua origem a exatos 120 anos, pois o povo brasileiro assistiu bestializado como bem disse um dos participantes do movimento, Rui Barbosa. O novo regime político brasileiro pouco mudou a vida do povo e não podia ser diferente, tendo em vista a forma como aconteceu a mudança da monarquia para a república. Houve uma mudança de regime, no entanto, a estrutura política e econômica permaneceu a mesma. As pessoas envolvidas no processo pertenciam a elite brasileira, ou seja, a coisa aconteceu de cima para baixo, como ainda é muito comum em nosso país. Não houve um enfrentamento por parte do povo para derrubar um regime que privilegiava aos ricos. Lima Barreto fora feliz ao dizer que "O Brasil não tem povo, tem público". Que o dia de hoje possa servir para repensar a nossa postura como cidadãos ante a situação política-social que estamos inseridos. O nosso questionamento é: como você tem se posicionado ante a práticas autoritárias de muitos de nossos representantes? Veja no vídeo a análise do professor Samuel acerca da conjuntura que desencadeu a proclamação da república.
video

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

SOMOS RACIONAIS?

O ser humano é realmente surpreendente. Um ser racional que é capaz de práticas difíceis de compreender. A sociedade atual é regida por uma força que manipula seus membros com extrema facilidade, estamos na era da informação que muito informa e pouco forma, por isso, as pessoas podem tornar-se alienadas pelo excesso de informação que maqueia o verdadeiro saber. A mídia tem uma incrível capacidade de fazer com que pessoas pensem de forma padronizada e com isso discaracterizando a pluralidade humana. Quero convidar o leitor para pensar acerca de um fato que fora destaque no Brasil e exterior. A jovem estudante universitária, Geisy Arruda, que passou por incompreensível humilhação. Provavelmente ao sair de sua casa naquele dia não imaginara o quanto a sua vida teria tanta repercussão, tão somente por ser bonita e atraente, algo que possivelmente muitas burguesinhas paulistas não o são, ficou evidente nesse acontecimento o quanto nossa sociedade é preconceituosa, não quero entrar aqui na discussão moral das coisas, todavia, pensar acerca de atitudes puritanas de jovens de famílias abastadas que em muitos casos são resultados de homens gananciosos e sem escrúpulos. E o mais lamentável foi a decissão da Faculdade em penalizar a jovem com a sua expulsão da entidade. Mas como? Ela não foi a vítima? Finalizo dizendo que é ridículo a atitude dos representantes da elite podre paulista.

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

REVISTA FORBES E NÃO A VEJA

Como o nosso espaço é democrático e procura focar as coisas boas, não poderia deixar de fazer referência a um acontecimento que mexe com todos nós brasileiros, uns poucos são indiferentes, por não aceitarem a projeção que ele ganhou e outros por ignorarem a capacidade e sensibilidade que Deus lhe outorgou. Acredito que o leitor já sabe de quem estou falando. Pois é... O analfabeto, nordestino, baixinho, mestiço, deficiente físico, ex operário, etc, etc. O homem que tem sobrenome Silva, nome comum aos brasileiros. Lula foi incluído na lista dos mais poderos do mundo, pela revista americana Forbes. Ao contrário das revistas conservadoras brasileiras a Forbes não omite a capacidade do presidente do Brasil. O lugar que ocupa hoje é um reconhecimento de políticas públicas que tem colocado o Brasil em um lugar compatível com o seu tamanho e riquezas naturais. Recentimente a mídia golpista deu destaque a um artigo de FHC quando o mesmo destila todo o seu veneno contra o presidente Lula, que diferente dele não é intelectual e de origem burguesa, o ex presidente provavelmente ainda viverá muitos anos para acompanhar os feitos do analfabeto e operário Lula. Quanto a FHC viverá na solidão de sua arrogância e prepotência. Já Caetano Veloso, que caiu na "bestagem" de criticar o presidente por não ser um homem de letras, perdeu muito da admiração que nutria.









terça-feira, 10 de novembro de 2009

SEU NOME FAZ JUS

No dia 9 de novembro a nossa querida cidade, Vitória da Conquista, completou 169 anos de emancipação política, digo nossa pela importância que a mesma representa para todas as cidades que estão em seu entorno. Todos nós somos um pouco conquistenses e eu em particular tenho imensa satisfação em fazer parte da História de Conquista. Ela tem uma riqueza maravilhosa em todos os sentidos, mas aqui quero destacar a sua riqueza cultural que muito nos orgulha. Terra de grandes artistas. Não podemos deixar de fazer referência a alguns deles. Quem não já ouviu falar de Glauber Rocha, o pai do cinema novo? Conquista tem muitos artistas e intelectuais que merecem o nosso respeito e admiração; destaco o saudoso Mozart Tanajura que nos deixou um legado intelectual imprescindível. Ainda em nosso meio temos o já citado, nesse espaço, Elomar Figueira, a quem admiro por sua simplicidade e maestria, nosso menestrel. São muitos artistas conquistenses uns já conhecidos pelo grande público e outros que ainda são desconhecidos. Abaixo vejam o vídeo de Mariana Macedo que tem uma voz encantadora e vem se destacando como ótima intérprete. Participou do projeto Som na Praça.
video

domingo, 8 de novembro de 2009

NOSSO PATRIMÔNIO

Estamos na semana da cultura e não podíamos deixar de fazer referência à capoeira, tendo em vista a sua grande importância para todos os brasileiros. O motivo de destacar a capoeira é pela incompreensão que sempre existiu para com os seus praticantes e pais da capoeira. Por ter tido sua origem nas senzalas é mais do que natural, num país como o nosso, que ela e seus praticantes sofram vários tipos de preconceito. A capoeira é nossa riqueza cultural que mais se identifica com a nossa história de luta pela liberdade. Faço aqui em nosso espaço uma homenagem ao contra mestre Binho Kapoeira que por muito tempo tem se dedicado em ensinar essa arte viva a nossas crianças. A sua luta e dedicação é digna de todo o nosso louvor, pois durante todo esse período Binho fez e continua fazendo um trabalho voluntário como poucos fizeram em nossa cidade. Parabéns Binho e não deixe de colaborar com a formação de nossas crianças através dos ensinamentos da capoeira. Abaixo assista vídeo de nosso patrimônio cultural.

video

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

ÁLISSON MENEZES


O criador o presenteou com uma voz linda e uma capacidade de criação maravilhosa. Tenho a alegria de compartilhar aqui em nosso espaço o vídeo de Álisson Menezes a quem tive o prazer de conhecer na realização da I Feira Cultural de Planalto. Conheça um pouco esse compositor e intérprete baiano. As informações abaixo são do sítio do próprio autor.



Álisson Menezes compositor e intérprete é natural da pequena cidade de Iguaí no interior da Bahia, onde viveu durante toda a sua infância e adolescência. Muito cedo deixou sua terra natal e ouvindo o chamado da música resolve "correr trecho". A música o levaria a passar um tempo em Brasilia onde pôde mostrar um pouco do seu trabalho na noite brasiliense, mas a alma do compositor é ávida por conhecimento e inspiração e assim tendo sorvido um pouco da cultura daquela região, parte para Salvador, onde passa uma temporada divulgando seu trabalho na capital e região, levando-o a ter contato com a autêntica música da Bahia, como o samba de roda do recôncavo, entre outros.



video

ESTAMOS MUDANDO

O momento que ora vivemos em nosso país é muito positivo, por vários aspectos, mas podemos destacar o combate a desigualdade social que programas do governo federal tem efetuado com grande sucesso. É nítida as trasformações que tem ocorrido no Brasil principalmente no que se refere ao aumento da renda do povo brasileiro. O IPEA divulgou resultado de pesquisa que mostra a mudança da pirâmide social do Brasil. Leia abaixo matéria do jornal O Globo que aborda o assunto.
Em apenas três anos (2005 a 2008), 18,5 milhões de brasileiros tiveram elevação real em seus rendimentos individuais superior ao crescimento da renda per capita e à inflação. Com isso, subiram na pirâmide social brasileira. Esta é uma das conclusões de estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que se baseou nos dados da última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad 2008), do IBGE. O documento, divulgado ontem, mostra que sete milhões de pessoas deixaram o segmento de baixa renda e ascenderam à classe média e 11,5 milhões passaram a fazer parte da camada de mais alta renda do país.Por este estudo é possível perceber que a sociedade brasileira voltou a ter mobilidade. É um quadro de ascensão social que deriva das melhoras ocorridas no mercado de trabalho em termos de ampliação do emprego e, sobretudo, melhora da renda disse Marcio Pochmann, presidente do Ipea.O estudo do Ipea considera como classe média rendimentos mensais entre R$ 188 e R$ 465; alta acima de R$ 465; e, abaixo de R$ 188, são classificados como baixa renda. Essa rápida ascensão aos níveis mais altos de renda, segundo a pesquisa, se deu com mais intensidade nas regiões Sudeste e Nordeste, e atingiu uma parcela maior de indivíduos negros e do sexo feminino.Além disso, essa população deixou de se concentrar nas grandes cidades e foi para cidades do interior. Na base da estrutura social brasileira percebemos que a mobilidade social está fortemente associada ao sexo feminino e também à população negra que melhorou a sua condição no segmento da renda intermediária.Já temos hoje uma elite negra no país - disse Pochmann.País caminha para "figura de um barril", diz Pochmann O Ipea, órgão ligado ao governo federal, também verificou a representação de cada uma das classes sociais nas camadas de renda da população brasileira entre 1995 e 2008, chegando à conclusão que houve uma redução da participação do segmento de renda mais baixa. Em 1997, as pessoas que ganhavam menos representavam 34% da população economicamente ativa.No ano passado, essa participação caiu para 26%, o menor nível desde 1995. Já a classe média que respondia por 21,8%, cresceu para 37,4% no mesmo período. Já os de renda mais alta subiram de 35,8% para 36,6%.Segundo Pochmann, com esses resultados a ideia de pirâmide social no Brasil precisa ser reconfigurada, porque o país está caminhando para a "figura de um barril", que passará a representar a redução da presença da população de menor renda e a ampliação da de renda intermediária, acompanhada da melhora do estrato superior de renda dos brasileiros. Outro dado revelado no estudo foi a descentralização do desenvolvimento, das empresas e do emprego que estão saindo dos grandes centros urbanos rumo ao interior do país.- Não dá mais para dizer que o interior do Brasil é a parte mais pobre e as grandes cidades são as regiões mais ricas - afirmou Pochmann.

Fonte: O Glogo (RJ)

terça-feira, 3 de novembro de 2009

CAPACITAÇÃO DE PROFESSORES

A Bahia foi o Estado que mais aderiu ao programa de capacitação de professores promovida pelo MEC. Serão 17 mil professores que ainda não tem graduação ou estão fora de sua área de atuação, que estarão ingressando em universidades públicas estaduais. É um esfoço conjunto dos governos federal, estadual e municipal para melhor preparar seus professores na expectativa de que a educação brasileira possa ter uma mudança significativa. Em Planalto não é diferente, cerca de 30 professores da rede municipal de ensino estarão, durante três anos, num esforço admirável deixando todos seus afazeres, família, e abrindo mão de muitas outras coisas para alcançar um grande desejo que é ver seu sonho realizado, uma graduação. Que acima de ser um curso superior é a realização de um grande desejo pessoal para esses professores que precisam da licenciatura para continuar exercendo o magistério. Em Planalto os professores aguardam posicionamento da secretaria municipal de educação para que esses educadores tenham transporte e ajuda de custo para a citada capacitação, pois a universidade que atenderá aos professores da região sudoeste é a UESB, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, que se localiza na cidade de Vitória da Conquista. O que nos leva a acreditar é que esses educadores terão a oportunidadade de se capacitarem, levando em consideração a pequena PARTICIPAÇÃO do governo municipal. Aos professores envolvidos nessa empreitada desejamos muito sucesso.



"É no problema da educação que se assenta o grande segredo do aperfeiçoamento da humanidade". IMMANUEL KANT

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

A FALA DO MESTRE

Só quem sabe os desafios de ser professor quem o é, confesso que não é nada fácil, no entanto, entendo ser um dos desafios mais dignos que uma pessoa possa ter. Nós, professores, somos extremamente criticados por diversos motivos, e quem geralmente tece essas críticas são pessoas que não conhecem na prática o que é ser educador num país como o nosso. Não que não devamos ser criticados, pelo contrário, toda crítica deve ser bem fundamentada para que através dela possa haver reflexão, contudo, o que precisa ser repensado é a valorização desse profissional para que mudanças significativas possam ocorrer. O professor, o profissional dos profissionais, precisa urgentemente entender a sua participação na construção de uma sociedade menos desigual, mas... de que maneira? Valorizando a sua formação e buscando constantemente repensar a sua prática educacional em meios a tantos desafios na contemporaneidade. Para pensar com muito mais profudidade e propriedade convido o leitor para apreciar o vídeo com o professor Pedro Demo um dos mais proeminentes educadores do Brasil da atualidade. Para conhecer um pouco mais sobre Demo visite: Pedro Demo em Blogs Recomendados. Tenho certeza que você vai se deleitar com as orientações do professor Demo.
video